segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Agosto


Bom... Sei que fiz uma promessa a mim mesma de falar e divulgar mais as coisas e os atos bons do que os ruins. Mas devo confessar que quando as coisas estão boas eu as vivo e esqueço de escrever e quando as coisas estão ruins eu me recolho e desabafo na escrita. Tá que as vezes as coisas estão tão ruins que não dá vontade de fazer nada.
Hoje quero falar do AGOSTO, é... ele mesmo, o antes desconhecido por mim, Agosto do desgosto. Já tinha ouvido falar desse apelido mas... não lembrava pois não via muito o porque.
Esse ano porém, tive a prova dos 9. Nossa... quanta coisa ruim em tão pouco tempo. Quantas notícias de morte, perdas, separações, entre outras. Além de ter sido vítima desse mês. Alguns anos atrás, quando percebi que o tempo estava correndo cada vez mais rápido, me prometi não pedir mais que as horas, os dias, os meses passassem rápido. Para que o tempo n passasse mais depressa ainda. Mas juro que quero que esse mês passe logo. Sei que isso não vai me fazer recuperar o que eu perdi, até porque no estado em que me encontro nem sei mais o que é bom e o que é ruim pra mim. Mas espero que as coisas ruins diminuam, que a dor passe, a angustia acabe e a paz interior volte. Sei que não devemos colocar a culpa nos meses mas que esse mês trouxe muita energia ruim, isso trouxe.

Mas há de melhorar... Sempre há esperança!

Aproveitando esse mês ( ¬¬ ) vou postar um trecho de um dos livros que estou lendo "O teatro do bem e do mal" de Eduardo Galeano. Muito bom!
Aproveitem.


É muito absurdo para uma humanidade só!

Nenhum comentário:

Postar um comentário