quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A partir de hoje...


"A partir de hoje uma nau de solidão
navegará aliviada dos apegos
impossíveis, e uma nova geração
desvendará a ilha daqueles que sonham
antes de dormir.
Notas serão como uma leve pluma,
lançadas ao vento com destino certo:
Afago no espírito, cócegas na alma,
mimo na paz, inibir agonias,
afrouxar todo o receio de ser
devaneador.
Na rua do acalanto, primeiro peito
franco à direita, casa de janelas
sempre abertas e dispostas ao novo,
jardim de lindas rosas de espinhos
prósperos, varanda ao infinito,
mansão cor de legítimo coração,
em frente ao público dessa nossa solidão.
Ali a pena dançará e nenhuma
câimbra na felicidade,
nem faíscas de isolamento
nos fará desistir de estarmos
"todos juntos".

Caio Sóh

É assim que quero terminar esse ano e viver todos os outros anos!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ser positivo


"No meu jardim eu vou plantar uma flor
No coração eu quero paz e amor"
Momento de renovação
De sentir o ar mais leve
De dançar mais leve
De sorrir com intensidade
De ser feliz de verdade
De acreditar nas possibilidades
Com muita positividade!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Um passarinho, tem!


Se você quer grilo, tem
se quiser rio, tem
e se quiser também
até cabana tem
uma lareira, tem
um violão também
Um passarinho, tem
mas se você quiser
morar na praia, vem
um automóvel, tem
cabeleireiro, tem
e vira a gente bem
Copacabana, tem
biriba à noite, tem
e quando a lua vem
jantar no iate, bem
eu faço o que você quiser
se você for minha até morrer
mulher...
Bem, eu faço o que você quiser
se você for minha até morrer
mulher...
Os Grilos - Os Cariocas

Nossa... estou viciada nessa musica!
Com a voz de Marcela Mangabeira então... Recomenddoooo mesmooo!

sábado, 13 de novembro de 2010

Uma Estranha Realidade

"O que me impressionava em dom Juan era o fato de ele não fazer questão de ser fraco e indefeso, e só de estar ao seu lado eu sentia uma comparação desconfortável entre o seu comportamento e o meu. Talvez uma das declarações mais impressinantes que dom Juan me fez naquela ocasião tenha sido a respeito de nossa diferença inerente. Antes de uma de minhas visitas, estava me sentindo muito infeliz com o aspecto geral de minha vida e com vários conflitos pessoais sérios. Quando cheguei à sua casa, sentia-me irritado e nervoso.
Estávamos conversando a respeito de meu interesse pelo conhecimento; mas, como sempre, nos encontrávamos em lados diferentes. Referia-me ao conhecimento acadêmico que transcende a experiência, enquanto ele falava do conhecimento direto do mundo.

-Sabe alguma coisa do mundo que o rodeia? - perguntou.
-Sei muitas coisas diferentes-respondi.
-Quero dizer, sente o mundo em volta de você?
-Sinto tanto do mundo em volta de mim quanto posso.
-Isso não basta. Tem de sentir tudo, senão o mundo perde o sentido.

Rebati com o argumento clássico, dizendo que não era preciso provar a sopa pra saber a receita, nem levar um choque elétrico para saber a respeito da eletricidade.

-Você faz a coisa parecer estúpida - disse ele. - Na minha opinião, quer agarrar-se a seus argumentos, a despeito do fato de eles não lhe darem nada; quer continuar assim, mesmo à custa do seu bem-estar.
-Não sei do que você está falando.
-Estou falando do fato de que você não é completo. Não tem paz.

Aquela declaração me aborreceu. Ofendi-me. Achei que ele certamente não estava em condições de julgar meus atos ou minha personalidade.

-Você está atormentado por problemas - disse ele. - Por quê?
-Sou um homem, dom Juan - respondi, irritado.

Fiz aquela declaração do mesmo jeito que meu pai costumava fazer. Sempre que ele dizia que era apenas um homem, implicitamente queria dizer que era fraco e indefeso; e a declaração dele, como a minha, era cheia de um sentido final de desespero.

-Pensa demais em si mesmo - disse ele, sorrindo. - E isso lhe dá um cansaço estranho, que o leva a fechar o mundo em sua volta e se agarrar a seus argumentos. Por isso, só tem problemas."

Carlos Castaneda - Uma Estranha Realidade

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Reflexão


Cada dia que passa percebo mais distorções nesse mundo.
Cada nova busca vejo o quanto somos dominados, controlados.

Como pode, um ser que pode tanto, ser marionete, ser robô?

Eles agem de tal forma que além de nos dominar, fazem com que ajudemos eles a fazer de nossos filhos coisa pior. Passamos de geração à geração essa loucura, essa ilusão, esse controle descontrolado. Ajudamos eles a estragar nossos próprios filhos.

Mas seus atos são falhos!
Existe algo muito bom que nos ajuda e abre os olhos dos mais rebeldes.

Chamo isso de Deus!

sábado, 30 de outubro de 2010

Doce desejo


1° pipoca doce feita por mim!
Não estava a melhor das pipocas doces, mas deu pra matar o meu atual constante desejo.

Dica de filme: DOCE NOVEMBRO

Espero que o meu seja!

Até pq é o meu mês! xD!

domingo, 24 de outubro de 2010

Por ai 2...


Sigo andando e cantando uma canção!

Vai que alguém escuta e canta comigo!

^^

Por ai...


Sinto-me como se estivesse numa canoa, num rio extenso.
Só escuto o som das folhas se mexendo.
De vez em quando, muito de vez em quando,
vejo uma flor se abrir...
um peixe pular...
uma borboleta rodopiando rapidamente...
um mosquitinho...
...
..
.

domingo, 10 de outubro de 2010

Estudando espiritualidade, o que antes era por mera curiosidade, mas agora é por algo maior, decidi ler um livro que se encontrava no meio de muitos outros livros velhos e deixados de lado. Nesse livro, Ensinamentos de Prabhupãda, li um comentário digno de postagem.

"Os cientistas podem ter feito progressos na medicina, mas existe algum remédio que possa permitir-nos afirmar:"Agora, deixou de haver doença"? Existe esse remédio? Não. Logo, qual é então o progresso dos cientistas? Pelo contrário, a doença está aumentando em tantas novas formas.
Inventaram as armas nucleares. Qual o benefício disto? Simplesmente para matar. Inventaram algo que impeça que os homens morram? Isto seria um mérito para eles. Mas as pessoas estão morrendo a cada momento, e os cientistas simplesmente inventaram algo para acelerar a morte delas. Só isto. É esse o mérito delas? Assim, continua sem haver solução para a morte."


Não acho que tenha solução para a morte, até pq a morte muitas vezes é a solução. Uma etapa da vida, uma passagem.

Postei esse comentário pq sou estudante de enfermagem e, claro, estudo muito doenças, curas, etc. E o que mais vejo hoje são pessoas querendo qualquer solução rápida e pratica pra suas doenças e não vêem que a doença que mais as consomem e dominam não pode ser curadas com remédios e sim com uma vida mais disciplinada e em harmonia com a natureza. É ouvir e sentir seu corpo, é prestar mais atenção e dar tempo ao seu corpo. Há tantos doentes e a cada dia que passa esse numero cresce pq estamos doentes todos os dias, maltratamos nosso corpo e nossa alma a cada segundo, por isso qualquer besteira e "de uma hora para a outra" ficamos muito doentes. Como Prabhupãda disse a "cura" que os cientistas descobriram é momentânea, logo estará doente novamente.
obs.: Não estou falando que não são úteis, mas tem muito mais eficácia e leva muito mais a cura quando associados a uma vida mais saudável e harmônica.

Mas é claro que quando se trata de destruição em massa os cientistas foram eficazes, perfeitos, indecentes e absurdos.

Refletindo sobre o bem e o mal cheguei à conclusão de que para apagar um incêndio é preciso harmonia, colaboração, mas pra colocar fogo em um lugar uma pessoa só, desorientada ou não coloca e destrói tudo a sua volta.

A procura da felicidade

Todos nós procuramos ser felizes sempre e muitas vezes achamos ser, mas... faz pouco tempo descobri que não sou e que apesar de ficar bastante tempo sozinha e pensando em mim e nas coisas ao meu redor deixei que minhas frustrações me dominassem ao ponto em que cobriu tudo aquilo que realmente me faz feliz.

Agora busco tirar esse pano do meu coração e da minha mente.

Não é fácil, pelo contrario, é muito mais difícil do que eu imaginava.

E... as vezes olho ao meu redor e não vejo a quem pedir ajuda.

Mas sei que é uma busca só minha, que só eu posso me ajudar agora.

quinta-feira, 24 de junho de 2010


Acabo de assistir a uma reportagem sobre mais uma cidade destruída pela água, ou seria melhor falar pela burrice do ser humano?
Fiquei pensando como uma cidade totalmente destruída se reconstitui...
E só consegui pensar em uma coisa... na UNIÃO!
Na união em construir, em ajudar, em cuidar... Seria uma cidade socialista por alguns anos, até tudo se resolver, a população esquecer e voltar a ser "o que é meu, é meu e de mais ninguém".
Todos ajudando da maneira que podem. Construindo, limpando, cozinhando, arrumando, organizando, cuidando e por ai vai...
Viveriam por algum tempo da maneira que deveríamos viver sempre... Um ajudando o outro, como num ciclo, como a natureza. Num equilíbrio. Equilíbrio social!
Bom... Por isso eu acredito que o "mal", a dor é necessária.
Pena que seus ensinamentos muitas vezes são esquecidos logo após o bem estar.
Penso que se temos que passar por algo ruim, que tenha valido a pena. Que seus ensinamentos fiquem pro resto da vida, principalmente que sejam lembrados nos momentos ruins. Até pq errar uma ou duas vezes vá lá, mas errar mais do que isso é burrice!

terça-feira, 8 de junho de 2010

Renoir


"Pintou o corpo feminino como ele é sentido pelas mãos, assim a pintura tem calor, proximidade, vivacidade"
Umm... deu vontade de desenhar!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Ser Humano - Estar humano constantemente


Queria as vezes poder variar...

sábado, 8 de maio de 2010

Uma casa no campo


Quero uma casa no campo.
Num sitio, de preferência na chapada. Por onde passe um rio e tenha uma cachoeira pertinho.
Quero uma casa azul.
Com um jardim onde eu possa plantar flores nativas e não nativas.
As mais belas flores.
Quero ouvir o som dos passarinhos, vê-los se alimentar das flores, e as flores da terra, e a terra do céu, e o céu do ar, e me alimentar do ar também.
Senti-lo entrar pelas narinas, percorrer minha garganta, senti-lo entrar nos pulmões. Nossa... ô sensação boa! Depois sentir percorrer todo o ar pelo meu corpo... por dentro e por fora... Sentir um ar puro!
Quero ouvir também outros passarinhos. Aqueles que tem o que dizer e que qualquer coisa que diga me interesse por que eles TEM o que dizer, e quando não tem... ainda assim tem.
Passarinhos esses que escuto muito pouco aqui.
Não que sejam poucos, mas por que estão tontos com tanto barulho... e... nossa...quanto barulho.

Quero poder comer a folha e o fruto que plantei e o bicho também (é... não sou vegetariana nem nada do tipo.. huhu), nossa... um pão com ovo de galinha caipira... ummmm.. huhu

Quero poder sentir o tempo passar no tempo certo.
Uma vez li uma descrição que uma amiga minha fez de mim no orkut.

" o mundo dela roda devagar... para que ela perceba cada detalhe, sem pressa..."

Pela primeira vez não sou a lerda, a lenta...
Pela primeira vez alguém percebeu que meu tempo só é... calmo, diferente... detalhista (detalhes que não são os mesmos para todos). Gosto de sentir o tempo de cada coisa.
Por que aprendemos com elas...
Com as cores, com o tom, o cheiro, o jeito, o olhar, a voz, o andar, o foco e o fundo.
Tudo ao nosso redor nos influencia, direta ou indiretamente. Gosto de perceber todas elas.
De aprender com a dor*... aquela que nos faz refletir, a dor ruim...

Quero poder ter minha filha e cria-la com as regras da natureza.
É, a natureza também tem regras.
Muitos acham que as regras estragam tudo, pelo contrario, elas põem ordem no mundo. O problema é que o bicho homem quis criar mais, e gostou da palavra CRIAR... e gostou da sensação de CRIAR... e criou tantas regras que ao invés de ordem, virou desordem... o ser humano CRIOU a própria PRISÃO.

Pois então... quero a calma da natureza... quero sentir cada deus, talvez assim eu possa entendê-los e eles a mim... assim talvez eles me escutem, porque aqui, na selva de pedras e barulhos eles talvez não nos escutem direito... há tanto barulho...


"Quero acordar com os passarinhos, cantar uma canção com o Sabiá!"
Xangai

sexta-feira, 30 de abril de 2010

?

Sinto que não sou dessa época...
Também não me vejo em épocas passadas e muito menos nas futuras.
Então... de que época eu sou?
Tudo tá tão rápido...
o que me faz feliz é duradouro e por isso não existe mais.
O que me ensinaram (não só mamãe e papai, mas a vida) não existe e nem nunca existiu.
Do jeito que o mundo anda, tudo só vai piorar...
Porque não me falaram que o que acho mais importante, nunca importou... pra ninguém?
Porque acreditar se nada é verdadeiro?
Tento ser racional + tudo isso me cansa... sou emoção e fora isso o que sou é teatro... e eu não gosto disso, não me sinto confortável.
Quero agir livremente, ser como eu sou... mas amadurecer, virar "gente grande" é ser racional... e só!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

quinta-feira, 1 de abril de 2010



Nada é pesado demais para quem tem asas.

Eu Apenas Queria Que Você Soubesse



Eu apenas queria que você soubesse

que aquela alegria ainda está comigo

e que a minha ternura não ficou na estrada

não ficou no tempo presa na poeira



Eu apenas queria que você soubesse

que esta menina hoje é uma mulher

e que esta mulher hoje é uma menina

que colheu seu fruto flor do seu carinho



Eu apenas queria dizer a todo mundo que me gosta

que hoje eu me gosto muito mais

porque me entendo muito mais também



E que a atitude de recomeçar é todo dia toda hora

é se respeitar na sua força e fé

e se olhar bem fundo até o dedão do pé



Eu apenas queria que você soubesse

que essa criança brinca nesta roda

e n teme o corte de novas feridas

pois tem a saúde que aprendeu com a vida



(...)

quarta-feira, 31 de março de 2010

Onde vamos chegar?


Hoje li uma reportagem da Super interessante, "O DNA é um código livre", fiquei pensando sobre toda essa manipulação genética. Até onde é saudável tudo isso? Vai chegar um momento em que a natureza não vai mais poder nos ajudar, estamos modificando a vida, desse jeito não vamos mais encontrar as respostas na natureza e cada dia que passar mais doenças sem cura vão surgir.

Esse trecho da reportagem mostra o quanto perigoso isso está se tornando:

"Já dá para encomendar sequências de DNA pela Internet, de empresas que sintetizam o código e enviam genes para o cliente em um tubo de ensaio. Esse DNA pode ser introduzido em plantas ou bactérias, fazendo o organismo se comportar de novas maneiras."

No final dessa matéria o autor fala que é muito complicado fazer um vírus, não entendo o suficiente de manipulação genética para falar sobre esse assunto com certeza, mas sei que o acaso existe e com tantas experiências fica fácil criar um vírus poderoso.

O ser humano está ultrapassando todos os seus limites.

domingo, 28 de março de 2010



Divagando pelos blogs de conhecidos entrei em um blog de uma brother. No blog dela tinha um texto onde ela falava dos problemas que estava passando e que graças aos deuses já acabou. Senti uma certa inveja dela, mas uma inveja boa, aquela em que n quero que o outro não tenha e sim que eu tenha também algo no mínimo parecido. É claro que não estou falando dos problemas que ela passou! Falo do fato dela estar morando com o homem que ela ama, sabe? Só ela e ele, vivendo juntinho, compartilhando tudo ou quase tudo. Como tenho vontade de depois de um dia cheio chegar em casa e ver o homem que eu amo. Mas se tiver que ser vai ser no tempo certo.







"... Melhor mesmo é voar à dois... E lá do céu, Faremos dois em um só."
Marcia Cavalcante

Aracy


A mãe do dia, a origem dos pássaros.

No bico do Beija-Flor



OS GUERREIROS DO ARCO-ÍRIS

(Literatura de cordel)


Por: Luar do Conselheiro


A Obra: Uma profecia feita há mais e cem anos por uma índia da tribo Cree, é o tema deste cordel realista; a destruição do planeta já é algo visível, tanto quanto suas consequências, o autor vem através deste cordel pedir mais atenção com o nosso planeta.




Atenção eu peço a todos
Gostaria de falar
Sobre um nobre assunto
Que eu quero divulgar
Não só por achar bonito
Mas bem por acreditar

É uma história antiga
Profecia mandada do céu
Para chegar aos pequenos
Por isso transcrevo em cordel
Faço aqui a minha parte
E cumpro o meu papel
Não é de agora minha gente
Que a mãe terra avisa
Pra cuidarmos das florestas
Da água e da terra viva
Do ar que nós respiramos
Do cheiro da relva florida
Esta profecia é passada
De geração a geração
Por tribos e movimentos
Do planeta em ação
Hippies e ambientalistas
E gente de bom coração

A profecia foi feita
Pela índia "Olhos de Fogo"
Índia da tribo Cree
Norte americano povo
A profecia se espalhou
Depressa para o mundo todo
Um dia que não está longe
A terra vai adoecer
Os pássaros cairão dos céus
Os mares vão escurecer
Os lagos irão secar
E os peixes vão morrer

Neste dia todo índio
E quem ama a natureza
Perderá o seu espírito
Felicidade e beleza
E verá então a morte
De um mundo de grandeza

Porém pela graça divina
A força vamos recuperar
Para ajudar a Mãe Terra
De novo se purificar
Trazer verde vida pro mundo
E cada semente plantar

Estes índios, estes povos
Da raça dos "Homo gentilis"
Tem o coração imbuído
Da fé que quero que admires
Pois quem cuida da Mãe Terra
São os Guerreiros do Arco-íris

Quero pedir que observe
O mundo como evolui
Estão devorando a floresta
A água e o ar se polui
Quero saber meu amigo
Se fui claro ou não fui

A pesar de parecer
Mais um clamor ambientalista
Ou até para alguns
Devaneio indianista
Mas se parar pra observar
A profecia é realista

Os Hippies sinalizaram
O Green Peace divulgou
Jornal Zine CLÂdestino
Punk e índio semeou
E lá vai a profecia
Que a índia profetizou

A família Arco-íris
Só cresce por este mundão
Pretende modificar
E fazer revolução
Contra a guerra, o esgoto,
a morte e a poluição

Por com certeza acreditar
Nesta antiga profecia
No cordel eu contribuo
e reforço na cantoria
Agradeço as atitudes
pelo planeta magia

Não jogue lixo no rio
Não jogue lixo no mar
Não jogue lixo na mata
Na horta ou no pomar
Não jogue lixo na praia
Nem na rua ao caminhar

Esgoto deve ser tratado
Duas, três vezes ou mais
Água limpa vai pro rio
Com o sólido adubo faz
O resto é puro e volátil
Econômico Biogás

Plante sempre alguma coisa
Mesmo que seja num vaso
Temperos e hortaliças
Cada gosto é um caso
Se puder plante árvores
Em lugares ao acaso

O lixo pode ser separado
Papel, orgânico, metal
As pilhas são separadas
Plástico, vidro e tal
Parece uma coisa chata
Mas facilita no final

Ligue seu esgoto na rede
E exija o tratamento
Se a empresa não ceder
Organize um movimento
Saneamento é um direito
Como emprego e documento

Às ideias absurdas
Seja sempre contrário
Desmatamento, despejo,
Caça ou emissário
A Terra espera de você
Seja revolucionário

Não compre animais silvestres
Pra servir de estimação
Se comprar pra ajudar
Procure uma instituição
Que entenda sobre o animal
Para reabilitação

Organize uma horta
De plantas medicinais
Ou num terreno baldio
Ou no terreno de traz
Divida com a comunidade
E da semente plante mais

Não compre peixe ou lagosta
Em época de desova
Camarão a mesma coisa
Caranguejo e Tarióba
Crustáceos e mariscos em fim
Ou extintos vão à cova

São atitudes como estas
A resistências a destruição
Pesca com bomba é grotesca
E a pesca de arrastão
Poluição vai pro mangue
E evita a reprodução

Pouca gente já sabe
O caranguejo tá na lista
A extinção está chegando
Das mãos do homem egoísta
Vai faltar o caranguejo
Em pança nativa ou turista

A briga da gente é voraz
E o inimigo cruel
Destrói hectares de mata
Para produção de papel
Jogam dejectos na água
E fumaça química no céu

As guerras são outro ponto
Que é bom se levantar
Além de acabar com pessoas
Também destrói o lugar
As plantas e os animais
no seu próprio habitat

Um Guerreiro do Arco-íris
Combate no seu dia a dia
Seja só com atitudes
Ou com canção e poesia
Gostaria que todo mundo
Pudesse ler a profecia

Participe na escola
No bairro, na faculdade
Em ONG's ou em partidos
Jornais da sua cidade
Mostre à Terra disposição
E à você força de vontade

As sementes não pesam
Carregue algumas no bolso
Ainda que algum idiota
Resolva te chamar de louco
O mínimo que você fizer
Tenha certeza, não é pouco

É aquela velha história
Do incêndio na floresta
Com o bico do Beija-flor
É salvo o que ainda resta
Pois com muitos Beija-flores
Grande ajuda se presta

A poluição gerada
Pela queima, combustão
A camada de ozônio
Sofre uma corrosão
Um buraco então é feito
O resto é insolação

O problema não é só
Com a pele do Ser Humano
Derretendo as geleiras
Aumenta o oceano
A terras são inundadas
Dia a dia, ano a ano

Fora que acontece
O que a índia nos falou
Com poluição no ar
Passarinho não voou
Água suja não tem peixe
Floresta se acabou

Fumaça faz nuvem escura
Impede passagem de luz
Sem luz milho não cresce
Sem milho não tem cuzcuz
É como se algum curísco
Botasse no sol um capuz

O gado não come relva
Pois relva também não tem
Não adianta reclamar
Pois carne não tem também
Assim viver deste jeito
Não agrada mesmo a ninguém

O pior é que não adianta
Falar deste tema profundo
Até filmes americanos
Falam deste fim do mundo
Mas o telespectador
não acredita bem no fundo

Crêem ser uma viajem
Destas de LSD
Que algum idiota topou
Produzir para vender
Não sabe o idiota é ele
Que não vai ter pra onde correr

Pra mim esta profecia
Mais parece previsão
Vai acarretar problema
Se não dermos atenção
Vai mudar a nossa esfera
E trazer destruição

Ofereço no cordel
Espaço pra discutir
Esse assunto importante
Pra gente desconstruir
A construção do colapso
Que ajudamos a gerir
Ainda que este cordel
Seja só plumas ao vento
Me tranquiliza saber
Que existe movimento
A família do Arco-íris
Que luta todo momento

Se um dia perceber
O que está a sua volta
Na antiga profecia
De uma velha índia morta
Ajude no que puder
Dê a terra uma escolta

Assim como tens amor
Pela Mãe que lhe deu vida
E tudo você faria
Para curar sua ferida
Vamos pensar com amor
Na nossa Mãe Terra querida

Tome uma atitude
De fé, força e valor
Não esqueça a fidelidade,
Coragem e muito amor
Brigue com garra e gana
Valentia e furor

Busque na natureza
Algo que te inspire
Beba água mais pura
Ar mais saudável respire
E seja mais um guerreiro
Da família Arco-íris.

Estou contando os minutos para a estréia!
xD!

sábado, 27 de março de 2010

Resumindo


Você já parou pra perceber que todos os sentimentos resumem-se em dor?

Quando estamos tristes DOI, quando felizes DOI também.

Quando odiamos DOI e quando amamos também.

Tenho a impressão de que tudo é resumido em DOR, os pensamentos são o que dizem se a dor em boa ou ruim. Quando estamos felizes pensamos em coisas boas, quando tristes em coisas ruins. E no final de tudo... DOR!

A intensidade dos sentimentos corresponde à intensidade da DOR. Se estamos muito felizes... nossa parece que iremos explodir, ao mesmo se dá se estamos muito tristes.


E a calma, a paz, talvez seja a ausência de sentimentos, ou melhor, de um sentimento... a DOR.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Um Lugar Na Plateia




  Se um dia eu fizer falta na sua plateia, me fala... estarei la com a maior das felicidades e admiração

segunda-feira, 1 de março de 2010

Detalhes

Nossa como certos detalhes dão tanta saudade!
As vezes nos deparamos com situações desconfortantes no qual faz muita falta esses detalhes. As vezes por descuido, outras em momentos ruins... Nossa como certos detalhes fazem tanta falta...


Um cheiro, que inspira amor, paixão, carinho, desejo...



Um olhar, que toca a alma...


Uma surpresa, varios sorrisos...


Um carinho tão protetor...



Uma música, várias músicas... Nossa música...


Um abraço, um lugar, um momento só nosso...


Uma Árvore...


Nossa Flor...

Meu passarinho!

sábado, 20 de fevereiro de 2010


Termino o dia de hoje feliz e tranqüila.

O que boas companhias e boas musicas não fazem né?



Ontem meu professor de fisiologia contou à sala uma história de uma paciente dele para exemplificar o assunto em que ele estava ensinando. Ele nos contou q a paciente dele não mexia nenhum músculo do corpo, com isso era totalmente dependente do outro e não falava. Para se comunicar com as outras pessoas ela usava o piscar dos olhos. De todo o caso que ele contou o que mais me impressionou foi o que os médicos, analisando o histórico de vida dessa e de outros pacientes, disseram sobre a causa da paralisia.

ESTRESSE!

Não que eu esteja surpresa com isso, semestre passado estudei doenças neurológicas e todas são agravadas com o estresse. O que me impressionou mesmo foi o porquê desse estresse todo. A mulher estava se preparando para concluir o seu mestrado e estava noiva. Com o vestido comprado, convites enviados e festa pronta, há poucos dias, se não um dia antes do casamento, o noivo desfez o noivado. Eu fiquei pensando...

Até que ponto o amor pode destruir uma pessoa?

Até que ponto uma pessoa pode amar a outra mais do que a si mesma?

Como saber se amamos mais a outra pessoa do que a nós?

Para mim o perfeito seria amarmos a nós mais do que a qualquer pessoa (e não estou falando só de amor entre namorados, noivos, casados), seriamos felizes e completos sozinhos para que ai sim pudéssemos fazer alguém mais feliz do que já é. Assim evitaríamos tantas dores e tantas separações. Sei que dor é essencial, mas o excesso não. O problema é que não sou assim... Perfeita, pelo contrario, ainda não sou feliz sozinha, não sou completa e para eu ser não basta somente realizar os meus desejos, mas estar perto das pessoas que eu amo e vê-las realizadas também.

É... Não existe perfeição!


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

É Carnaval


É Carnaval!

Abro meu blog em plena semana de carnaval.

Boas companhias

Bom som

E um docinho p adoçar o mundo, o vento, o som, as pessoas, as cores.

Nossa... Senti o passado vendo o presente.

Um som... África!

Mais uma vez senti que não sou só carne, corpo, matéria orgânica... Mais uma vez senti que sou além de tudo isso. Senti minha alma e meu corpo como sendo duas coisas distintas, um respondendo de forma oposta ao outro.

Nossa... Como eu voei!


Obs.: Essa postagem era pra ter sido feita dia 14.02